Congresso de Jovens – 4° dia (noite)

Com o tema O mundo: o inimigo do verdadeiro crente o Espírito Santo, por meio da Apa. Raquel Vieira, nos ministrou na noite do nosso quarto dia de congresso.

Diante das direções que recebemos, nossa atenção foi chamada novamente para o fato de que precisamos ser jovens radicais contra o pecado, contra a carne, contra Satanás. Precisamos usar da verdade absoluta da Palavra de Deus contra todo relativismo que nos cerca.

Existem três significados para mundo no Novo Testamento:

  1. o mundo físico, a natureza, o universo (Atos 17:24);
  2. a humanidade, por quem Jesus morreu (João 3:16);
  3. o mundo que é um sistema inimigo de YHWH e de seus princípios.

Este último mundo é o nosso inimigo, ele é inimigo da igreja e das coisas santas. Precisamos arraigar essa consciência pois, enquanto não a tivermos, estaremos relativizando as coisas sagradas.

“Não amem o mundo nem o que nele há. Se alguém amar o mundo, o amor do Pai não está nele. Pois tudo o que há no mundo — a cobiça da carne, a cobiça dos olhos e a ostentação dos bens — não provém do Pai, mas do mundo. O mundo e a sua cobiça passam, mas aquele que faz a vontade de Deus permanece para sempre.”

1 João 2:15-17

No mundo não há o Zoe de YHWH, não há a operação do Espírito Santo. A vontade de Deus é que sejamos resistentes a este mundo posto que ele é inimigo do projeto da colheita e de tudo o que diz respeito a YHWH e suas obras. Para vence-lo precisamos usar as armas específicas dadas por Deus, isso implica que também precisamos ser jovens ousados, que carregam dentro de si uma identidade em Jesus Cristo, que têm a convicção que não pertencem ao sistema desse mundo. Uma das marcas do verdadeiro crente é não amar ao sistema mundano porque Deus também o odeia.Tão logo o nosso Deus tenha esse sentimento devemos concordar com Ele.

Odiar ao mundo, no entanto, não anula a ordenança de amar ao meu próximo que está no mundo. A mesma palavra que nos ensina a amar ao próximo nos ensina a não amar o mundo. Se eu amo a Deus eu amo meu próximo porque é assim que o amor a Deus é expressado.

“Amar as pessoas não significa dizer sim ao pecado delas, mas querer ver nelas a salvação.”

Apa. Raquel Vieira

O sistema do mundo, cheio de ideias que se opõem a Deus, é o que o crente não pode amar em hipótese alguma. O sistema que diz que cada um pode ser o que quer ser – logo negando a existência de um Deus Todo-Poderoso e inventando os seus próprios caminhos – foi elaborado pelo próprio Satanás. Nós não podemos aplaudir àquilo que tem inimizade com o nosso Deus.

O mundo cosmo é uma sociedade pagã, com sua falsa maneira de viver e seus falsos deuses. Essa sociedade é fundamentada em falsos valores e também numa falsa maneira de morrer. O fim deste mundo é o inferno. O evangelho não relativiza o inferno e não podemos deixar de falar que ele existe e que é o fim de todos os que não crêem, afinal o evangelho nos convence do pecado, da justiça e do juízo (João 16:18). A palavra de Deus é a verdade e quem nos fala sobre o inferno é ela, que é o próprio Cristo, Aquele que tem as chaves da morte e do inferno (Apocalipse 1:18).

O mundo é o sistema de Satanás que se opõe as obras de Cristo na terra. Ele se opõe a fidelidade, ao respeito aos mais velhos, ao respeito para com as lideranças. Esse sistema é coordenado por Satanás e tenta corromper nossas mentes para que saiamos da Verdade. Mas este mundo jaz no Maligno e quem o ama odeia a Cristo. Tudo que não se submete ao controle de Deus é mundano e está desprovido de Sua graça, por isso as pessoas que não são salvas se submetem à vontade desse sistema.

“Eu rogo por eles. Não estou rogando pelo mundo, mas por aqueles que me deste, pois são teus. Tudo o que tenho é teu, e tudo o que tens é meu. E eu tenho sido glorificado por meio deles. Não ficarei mais no mundo, mas eles ainda estão no mundo, e eu vou para ti. Pai santo, protege-os em teu Nome, o nome que me deste, para que sejam um, assim como somos um. (…) Dei-lhes a tua palavra, e o mundo os odiou, pois eles não são do mundo, como eu também não sou. Não rogo que os tires do mundo, mas que os protejas do Maligno. Eles não são do mundo, como eu também não sou. Santifica-os na verdade; a tua palavra é a verdade. Assim como me enviaste ao mundo, eu os enviei ao mundo. Em favor deles eu me santifico, para que também eles sejam santificados pela verdade.”

João 17:9-11, 14-19

Em João 17 Jesus não orou a favor desse sistema, pelo contrário, Ele declarou que nós não somos do mundo, porque estamos escondidos com Cristo em Deus. Esse sistema odeia a Cristo e quer roubar a fé verdadeira dos nossos corações. Se nos deixamos influenciar não somos mais problema para o mundo, mas fazemos parte do seu sistema. O mundo nos odeia, justamente, porque não nos compactuamos com ele. Assim como a palavra diz em Hebreus 11 que Abraão morou provisoriamente em tendas porque esperava a cidade celestial, não podemos nos apegar a terra, principalmente numa geração que vive desconectada do céu.

Estamos no mundo, mas o mundo (sistema) não deve estar em nós, não fazemos parte dele. Somente o Espírito é o capacitador que pode nos conservar santos e irrepreensíveis em nosso espírito, nossa alma e em nosso corpo diante desse sistema.

“Vejam como é grande o amor que o Pai nos concedeu: que fôssemos chamados filhos de Deus, o que de fato somos! Por isso o mundo não nos conhece, porque não O conheceu.”

1 João 3:1

Nós somos filhos de Deus, nação santa, raça eleita, sacerdócio real, não somos desse mundo. Jesus é o nosso líder.