Congresso 3° dia (noite): Uma noite de milagres

Noite de Milagres

Edificamo-nos na nossa terceira noite de congresso com uma palavra evangelística ministrada por meio de Augusto Breno. Muitos convidados se encontravam entre nós, foi um culto de colheita. E logo a princípio fomos questionados: Quando foi a última vez que você presenciou um milagre?

As histórias de Israel eram contadas de pai para filho, e os milagres que Deus havia feito por meio dos profetas no passado tinham se tornado apenas numas dessas histórias. Porém Jesus veio pra mostrar que milagres não eram apenas histórias a serem contadas, mas experiências a serem vividas. Em poucos dias os surdos ouviram, os cegos viram e os coxos andaram, e o Jesus que fez isso é o mesmo que está aqui entre nós.

Muitas vezes olhamos para nossas próprias vidas e achamos que os milagres também se tornaram histórias. Sofremos tantas coisas e esquecemos que temos um Senhor que é um grande fazedor de milagres. Mas Jesus não tinha esforços ou dúvidas, poucas palavras eram suficientes para que um milagre ocorresse por suas mãos como atitudes simples, carregadas de fé e de poder. Não havia nenhuma circunstância que colocasse Jesus em apuros. Independente da ocasião Ele sempre tinha a Palavra certa e nada ficou mal resolvido quando Ele estava presente.

Por que temos dificuldades em orar por milagres? Ou por que temos tanto receio? Por que nossas vidas andam sem milagres apesar de crermos em Jesus? Em Mateus 21:18-22 a Palavra nos mostra que Jesus operou um milagre conforme a circunstância que precisava naquele momento:

“E, de manhã, voltando para a cidade, teve fome; e, avistando uma figueira perto do caminho, dirigiu-se a ela, e não achou nela senão folhas. E disse-lhe: Nunca mais nasça fruto de ti! E a figueira secou imediatamente. E os discípulos, vendo isto, maravilharam-se, dizendo: Como secou imediatamente a figueira? Jesus, porém, respondendo, disse-lhes: Em verdade vos digo que, se tiverdes fé e não duvidardes, não só fareis o que foi feito à figueira, mas até se a este monte disserdes: Ergue-te, e precipita-te no mar, assim será feito; e, tudo o que pedirdes em oração, crendo, o recebereis.”

Qual o propósito para secar uma figueira? Por que lançar um monte ao mar?  Jesus apresentou aos discípulos um novo ensino. Os discípulos costumavam relacionar milagres às curas físicas, mas Jesus ampliou o conceito de milagres que os discípulos tinham a tudo o que eles pedissem em oração. Milagre passou a ser um homem sem esperança voltar a ter esperança. Ele removeu barreiras, Ele removeu opções. Ele secou a figueira para mostrar que se Ele pedisse pra secar a figueira ela secaria. Naquele dia Jesus transmitiu aos discípulos uma mensagem muito mais profunda do que uma figueira sem frutos: o seu milagre não precisa ser grande ou pequeno, Ele quer saber exatamente do que você precisa.

Ouvimos, então o testemunho de Jeferson Costa, sobre como ele creu nessa palavra até alcançar o milagre em sua casa. Sua família estava destruída, mas foi reconstruída no poder da oração de sua esposa e da célula onde ela estava, e ele e seus filhos foram conquistados para Cristo.

“O milagre não veio só para me alcançar, mas veio para me alcançasse a outros.” Jeferson Costa

Augusto ainda completou dizendo que Jesus pergunta qual é a nossa pendência, pois Ele quer nos restaurar por completo. O maior milagre, que ainda não foi escrito, pode ser hoje em nossa vida se crermos.