Projeto Zoe: tocando a Paraíba

O Projeto Zoe: a vida pulsante de Deus nos jovens da Paraíba

O que trouxe ao homem a oportunidade de ser alma vivente em sua criação foi somente um sopro divino. Esse sopro o qualificou para ser algo além de um boneco de barro divinamente moldado.

“Então, formou o Senhor Deus ao homem do pó da terra e lhe soprou nas narinas o fôlego de vida, e o homem passou a ser alma vivente.” Gênesis 2:7

Quando Adão recebeu esse sopro, ele recebeu uma parte da natureza do seu Criador. A potência da vida que há nEle levantou o homem do estado de inanição. Desde então, o primeiro homem e a primeira mulher viveram um tempo (que a Bíblia não nos informa quanto) desfrutando da plenitude dessa vida efetuada pelo puríssimo fôlego de Deus. O que pôs um fim trágico sobre essa plenitude foi o pecado, mas, pela graça do nosso Deus, esse não foi um fim perene. Sabemos de todo o plano de Redenção que Deus efetuou para trazer o homem de volta a seu estado de plenitude e comunhão. Jesus nos deu um caminho para esse retorno oferecendo um novo sopro sobre nossas narinas. A apa. Vanice Milhomens no livro Comunhão e princípios de fé nos fala que “Pela recriação no nosso espírito (Novo Nascimento) passamos a ter algo em comum com Deus: Sua vida em nós”. Aquilo que há em nós que foi desqualificado pelo pecado é renovado quando nos arrependemos recebendo a Cristo e a nova natureza que Ele nos oferece. A apa. Valnice prossegue dizendo que “a palavra grega traduzida por ‘vida’ em nossa Bíblia, é Zoe”, ela traz uma definição dessa palavra presente no Dicionário de W. E. Vine:

“ZOE é usada no Novo Testamento significando vida como um princípio, vida no sentido absoluto, vida como Deus a tem, aquela que o Pai tem em si mesmo (Jo 5:26) e a qual o Filho manifestou no mundo (1 João 1:2). Em consequência da queda o homem se alienou dessa vida (Ef 4:18), e se tornou participante dela através da fé no Senhor Jesus Cristo (Jo 3:15), que se torna seu autor para todos os que confiam nEle (Atos 3:15), de quem é dito, portanto, ser a vida do crente (Cl 3:4), porque a vida que Ele dá, Ele mantém (Jo 6:40). Vida eterna é uma possessão atual do crente por causa do relacionamento com Cristo (Jo 5:24; 1 Jo 3:14), e que um dia estenderá seu domínio na esfera do corpo, é assegurada pela ressurreição de Cristo (II Co 5:4; II Tm 1:10); esta vida não é meramente um princípio de poder e mobilidade, pois tem associações morais, as quais são inseparáveis dela, como justiça e santidade.”

O resumo que o autor nos cede mostra-nos uma trajetória redimida. Nós, que outrora estávamos despidos da nossa identidade original por causa do pecado recebemos um novo sopro, o Espírito. Este nos deu uma nova vida. Restaurou a nossa comunhão com o Pai para que pudéssemos refletir em nós marcas dessa plenitude do Zoe, uma vida como “aquela que o Pai tem em si mesmo”.

A Bíblia diz que somos o Corpo de Cristo, e um corpo possui toda a natureza daquele que lhe é cabeça, do contrário ele funcionaria defeituosamente ou mesmo nem chegaria a funcionar. Em 2 Coríntios 12:13 o apóstolo Paulo afirma que: “(…) Vós sois corpo de Cristo; e, individualmente, membros desse corpo.” Aqui temos que Cristo nos comprou ofertando o seu próprio corpo perfeito para que tivesse para si um corpo que operasse suas obras na terra quando este fosse assunto aos céus. Como o Seu precioso corpo vivemos como se tivéssemos suas mãos que tocavam os enfermos, Sua Voz, que perdoava pecados, Seu pés que iam de encontro aos perdidos. Ele é a cabeça que nos ordena e nós, mais do que nunca precisamos estar cientes de que seu zoe opera em nós conforme Sua Soberana vontade para a ação do Seu Espírito na terra.

O melhor exemplo de como isso funciona é a passagem que o mesmo apóstolo, pregando aos gregos atenienses, afirma:

“Pois nEle vivemos, e no movemos, e existimos, como alguns dos vossos poetas têm dito: Porque dEle também somos geração.” (Atos 17:28)

Sendo assim esse Zoe, a vida mais excelente que vem de Deus, é aquela que está presente em todos aqueles que vivem em Cristo. A Igreja, Sua Noiva, foi comprada pelas marcas do próprio corpo do Cordeiro sacrificado, para assumir o posto do Zoe de Deus na terra. Devemos fazer as mesmas obras que Ele fez.

Diante dessa convocação soberana a INSEJEC em Campina Grande, junto às congregações conectadas nesta Base Profética, foi despertada para viver algo sobrenatural de Deus em nossa terra. No início do ano de 2017 foi lançado o Projeto Zoe. Durante aquele acampamento de jovens realizado nos últimos dias do mês de fevereiro como título Não vos conformeis com este século, recebemos esse chamado para vivermos o agir de Deus em nossa geração impactando vidas pelas cidades da Paraíba afora. Ao longo daquele ano vimos Deus agir impetuosamente dando respostas, muitas delas imediatas.

Esse Projeto, que no último fevereiro completou dois anos de existência, já traz em sua história frutos palpáveis. Começarei pelos frutos dos avivamentos pessoais que temos colhido em nosso meio. Arrependimentos e transformações, curas e renúncias é o que começamos a colher em nossas vidas desde que fomos convocados naquele ano. A Rede de Jovens viveu momentos de romper e renovação.

Inseridos no Zoe outros tantos temas surgiram para nos despertar por meio de um direcionamento específico. O objetivo não era somente o avivamento pessoal da nossa Rede, mas um mergulho profundo na essência do IDE dado por Cristo a todos os que estão no corpo dEle. Um frutificar das sementes que estavam sendo plantadas em nós. Um exemplo disso são alguns dos projetos mais grandiosos realizados pela INSEJEC em Campina Grande: o Sopão da Vida e a Caminhada de Oração, realizados como estratégia de conquista dos bairros circunvizinhos da Igreja (não esqueçamos que devemos começar por Jerusalém). Por alguns sábados andamos profeticamente cantando e orando pelas ruas da comunidade do Alto Branco. Nessas caminhadas reivindicamos territórios, famílias, vidas. Mas, cientes de que a fé sem obras é morta (Tiago 2:14-17), fomos tocados pelas necessidades básicas que aquela comunidade nos demonstrou durante nossos primeiros contatos. Fizemos o primeiro Sopão da Vida com o objetivo de alimentar física e espiritualmente as pessoas daquela comunidade. Tivemos frutos, pessoas sedentas, pessoas que além da sopa por nós oferecida também buscavam ao Pão Vivo através da pessoa de Seu corpo na terra. Elas desejavam ser abraçadas pela Igreja como extensão da demonstração do amor de Deus por elas. Nós as abraçamos e plantamos sementes naquele lugar.

Como ordenado em Atos 1:8 por Cristo, o passo posterior ao permanecer em Jerusalém seria seguir pelas imediações, Judeia e Samaria, e assim fizemos. Lançamos o Zoe Cidades, onde fomos chamados pelo vento de Deus que soprava de Lagoa de Roça. Estivemos integrados com as congregações da Prata e Araruna andando pelas ruas daquele lugar durante uma tarde, chamando aos seus moradores para um mover que haveria na praça principal da cidade à noite, e houve. Naquele dia vimos o surdo ouvir, a salvação ser soprada como vento sobre o lugar em que estávamos.

A segunda experiência do Zoe Cidades foi Tocando o Profético. Estivemos na Prata visualizando as realizações sobrenaturais frutos das promessas de Deus e da fé. O deserto jorrou água e nós bebemos dela. Ali recebemos uma unção sobrenatural para despertarmos as sementes de Deus que estavam adormecidas em nós.

Por fim, o Zoe Influência nos levou aos espaços da cidade de Campina Grande, para vivermos a experiência do evangelismo abordando aos que estavam na correria de suas rotinas. Estivemos plantando desde o maior shopping da cidade até aos sinais de trânsito. A ação do corpo de Cristo transformou o espaço de nossa cidade e cremos que veremos os frutos alimentados pela ação do amor de Deus.

Além de Campina Grande outras cidades da Paraíba viveram o Zoe no evangelismo. Um exemplo disso foram São Bento e a Prata. A Prata, sobretudo, tem sido tremendamente usada por Deus para alcançar a região do Cariri paraibano. Assim como falamos acima que essa cidade viveu a concretização do profético de Deus, ela ousou pisar além de seus limites e transbordar a vida que há no corpo de Cristo para outras cidades.

A experiência do Zoe é um mergulho na essência de Cristo. É um transbordar incontinenti do poder pela obediência ao comissionamento de Cristo. Vamos juntos nos unir na missão como um corpo cujos membros são saudáveis e transmitem o fôlego de vida retirado do mundo pelo pecado. O mundo precisa respirar aliviado de todos os seus jugos e problemas. O Zoe é, antes de mais nada, AVIVAMENTO!